Rússia diz que deixará Estação Espacial Internacional em meio à guerra na Ucrânia

A Rússia disse na terça-feira Ele vai fazer Partida da Estação Espacial Internacional Após 2024, marca o fim Trabalhou em um projeto colaborativo Um sinal chave da cooperação pós-Guerra Fria Com Washington.

A medida ocorre quando Moscou e o Ocidente se chocam sobre a guerra do Kremlin na Ucrânia O futuro da cooperação global no espaço lança novas dúvidas. A Rússia anunciou que estava olhando para o seu futuro Principalmente como uma joint venture com o programa espacial chinês Mais do que a NASA, seu principal parceiro nos últimos 25 anos.

O chefe da agência espacial russa Roscosmos disse ao presidente Vladimir Putin na terça-feira que o país se concentraria em deixar a ISS e construir sua própria estação espacial, informou a mídia estatal.

“Foi tomada a decisão de se retirar da estação após 2024”, disse o recém-nomeado chefe da Roscosmos, Yuri Borisov, segundo a agência de notícias TASS.

A construção do posto avançado em órbita baixa da Terra começou em 1998 e foi concluída em 2011. Foi saudado como um exemplo de reconciliação entre inimigos de longa data, mas agora sentiu o impacto de um conflito terrestre renovado.

Esse contrato para a estação espacial envelhecida expira em 2024. E as autoridades russas indicaram anteriormente que o contrato para trabalhar em sua própria estação orbital russa, que eles esperam que esteja operacional em 2025, expirará.

Na terça-feira, Borisov, que foi nomeado diretor da agência espacial russa neste mês, confirmou a Putin que queria fazer exatamente isso. Borisov disse que a Rússia cumpriria suas obrigações com seus parceiros antes da partida, segundo Doss.

A principal missão da Roscosmos deve ser “elevar a fasquia” e fornecer ao país “serviços espaciais necessários”, como navegação global, comunicações e dados meteorológicos, disse ele. A “indústria aeroespacial está em uma situação difícil”, disse Doss.

READ  A Casa Branca enfrenta crescente impaciência no Capitólio com os pedidos para ajudar a Ucrânia a ficar mais alto antes do discurso de Zhelensky.

Foi anunciado Invasão do Kremlin na Ucrânia Ameaça afetar tudo, desde o abastecimento de energia europeu até os estoques globais de alimentos.

Apesar do racha, a NASA e a Roscosmos chegaram a um acordo este mês para permitir que os astronautas russos continuem montando foguetes russos e peguem elevadores para a estação espacial com a SpaceX a partir deste outono, informou a Associated Press.

Esse acordo garante que sempre haverá pelo menos um americano e um russo na estação espacial para garantir operações tranquilas em ambos os lados do posto orbital avançado, disse a AP.

A NASA e a Roscosmos foram os dois principais parceiros responsáveis ​​pela construção e operação da ISS, com a Agência Espacial Europeia, a Agência Espacial Canadense e a Agência de Exploração Aeroespacial do Japão envolvidas.

No entanto, as tensões entre a Rússia e o Ocidente, Ucrânia subiu pela invasãoTambém interrompeu as relações espaciais.

Três cosmonautas russos decolaram para a ISS em março. Fotos divulgadas pela Roscosmos este mês pareciam mostrar os astronautas segurando a bandeira Luhansk, uma das repúblicas autoproclamadas A Rússia ajudou a se separar da Ucrânia em 2014 e reivindica controle total sobre o conflito atual.

O ex-chefe da Roscosmos, Dmitry Rogozin, continuou a atacar as sanções ocidentais contra a Rússia, dizendo que poderiam fazer com que a ISS colidisse com os Estados Unidos.

Ele também comemorou bandeiras de outros países sendo cobertas em foguetes russos, atraindo uma resposta direta do astronauta aposentado da NASA Scott Kelly.

“Sem essas bandeiras e a influência que elas trazem, seu programa espacial é inútil.” Kelly twittou para Rogosin em março.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.