O ataque à usina nuclear da Ucrânia levou a sanções da ONU para acesso

  • Negócios de Kyiv e Moscou atribuem sucesso à fábrica de Zaporizhzhia
  • Qualquer ataque a usina nuclear ‘suicídio’: Guterres da ONU
  • Usina controlada pela Rússia geralmente opera – Moscou
  • Dois navios de grãos ucranianos estão deixando 12 portos desde a semana passada

8 de agosto (Reuters) – O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, pediu nesta segunda-feira que inspetores internacionais sejam autorizados a entrar na usina nuclear de Zaporizhia depois que a Ucrânia e a Rússia a acusaram de bombardear o maior complexo nuclear da Europa no fim de semana.

“Qualquer ataque a uma usina nuclear é um ato de suicídio”, disse Guterres em entrevista coletiva no Japão, participando da Cerimônia do Memorial da Paz de Hiroshima no sábado para marcar o 77º aniversário do primeiro bombardeio atômico do mundo.

Apesar do bombardeio, o complexo do reator nuclear estava operando “normalmente”, disse na segunda-feira Yevgeny Politsky, chefe da administração local fundada pela Rússia, segundo a agência de notícias Interfax.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

As forças russas tomaram a fábrica no sudeste da Ucrânia no início de março, depois que Moscou invadiu seu vizinho em 24 de fevereiro, mas ainda é administrada por técnicos ucranianos.

A Ucrânia culpou a Rússia pelo novo bombardeio na área da usina no sábado que danificou três sensores de radiação e feriu um trabalhador. Este é o segundo dano à planta em tantos dias, após uma linha de energia danificada.

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky, em um discurso televisionado no domingo, acusou a Rússia de realizar “terrorismo nuclear”, garantindo maiores sanções internacionais à vasta indústria nuclear de Moscou.

A autoridade russa instalada na região de Zaporizhzhia disse que as forças ucranianas atacaram a base com vários lançadores de foguetes, danificando prédios administrativos e uma área de armazenamento.

READ  Dow Jones Futures: O mercado está encolhendo à medida que os rendimentos aumentam, por enquanto; Tesla rival Xpeng em fita

A embaixada russa em Washington descreveu os danos como uma artilharia ucraniana que danificou duas linhas de alta tensão e um cano de água, mas deixou a infraestrutura crítica intacta.

A Reuters não pôde verificar a versão de nenhum dos lados sobre o que aconteceu.

A Ucrânia disse que está planejando uma grande contra-ofensiva no sul ocupado pelos russos, aparentemente centrado na cidade de Kherson, no oeste de Zaporizhia, e já retomou dezenas de vilarejos.

Confrontos armados perto de uma usina nuclear da era soviética alarmaram o mundo.

Guterres disse que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) queria acesso à usina. “Apoiamos totalmente a AIEA em todos os seus esforços para criar as condições para estabilizar a planta”, disse ele.

O diretor-geral da AIEA, Rafael Mariano Grossi, alertou no sábado que o último ataque “ressalta o perigo real de uma catástrofe nuclear”.

Exportação de grãos acelera

Em outros lugares, um acordo para conter as exportações de alimentos da Ucrânia e aliviar a escassez global veio quando dois navios de grãos deixaram os portos ucranianos do Mar Negro na segunda-feira, elevando o total para 12 desde o primeiro navio, há uma semana. consulte Mais informação

O Ministério da Defesa da Turquia disse que quatro navios que deixaram a Ucrânia no domingo ancorariam perto de Istambul na noite de segunda-feira e seriam inspecionados na terça-feira, enquanto o primeiro navio a zarpar desde a invasão da Rússia em 24 de fevereiro foi interrompido.

Dois navios de saída recentes transportaram quase 59.000 toneladas de milho e soja e seguiram para a Itália e o sudeste da Turquia após os ataques. Os quatro partiram no domingo carregando quase 170.000 toneladas de milho e outros alimentos.

READ  Exclusivo: a Microsoft continua a operar no dispositivo de streaming Xbox Cloud com o codinome 'Keystone'

Um acordo de exportação de grãos intermediado pela Turquia e pelas Nações Unidas em 22 de julho representa uma rara vitória diplomática à medida que os combates se intensificam na Ucrânia e ajuda a aliviar os preços globais dos alimentos devastados pela guerra.

Antes da invasão de Moscou, a Rússia e a Ucrânia juntas representavam quase um terço das exportações globais de trigo. A perturbação resultante levantou temores de fome em algumas partes do mundo.

A Ucrânia espera exportar 20 milhões de toneladas de grãos dos silos e 40 milhões da nova safra, disse o assessor econômico do país, Oleh Ustenko, em julho.

Uma batalha difícil pelo Donbass

A Rússia diz que está realizando uma “operação militar especial” na Ucrânia para erradicar os nacionalistas e proteger as comunidades de língua russa. A Ucrânia e o Ocidente descrevem as ações da Rússia como uma guerra não provocada ao estilo imperialista para reafirmar o controle sobre seu vizinho pró-ocidental, perdido quando a União Soviética se separou em 1991.

O conflito deslocou milhões, matou milhares de civis e deixou cidades, vilas e aldeias em ruínas.

Tornou-se um campo de batalha concentrado no leste e sul da Ucrânia.

Depois que o Kremlin anexou a Crimeia ao sul em 2014, as forças do presidente russo, Vladimir Putin, tentaram tomar totalmente a região de Donbass, no leste da Ucrânia, dos separatistas pró-Moscou.

“Os soldados ucranianos estão segurando firmemente a defesa, infligindo baixas ao inimigo e estão prontos para qualquer mudança na situação operacional”, disse o estado-maior da Ucrânia em uma atualização operacional na segunda-feira.

As forças russas intensificaram os ataques no Donbass ao norte e noroeste da cidade de Donetsk, controlada pela Rússia, neste domingo, disseram militares da Ucrânia. Ele disse que os russos atacaram posições ucranianas perto dos assentamentos fortemente vigiados de Pisky e Avtivka, e bombardearam outros locais na província de Donetsk.

READ  Ucrânia: Os russos deixaram Chernobyl após um ataque de radiação

A Rússia está tentando consolidar sua posição no sul da Ucrânia, onde está reunindo forças na tentativa de evitar qualquer contra-ofensiva perto de Kherson, disse Kiev.

A Interfax citou uma autoridade nomeada pela Rússia em Kherson dizendo que a Ucrânia bombardeou a ponte Antonievsky na segunda-feira, danificando equipamentos de construção e atrasando sua reabertura.

A ponte é uma das duas travessias para a área ocupada pelas forças russas na margem oeste do grande rio Dnipro, no sul.

Tem sido um dos principais alvos ucranianos nas últimas semanas, com Kyiv tentando destruí-lo em uma possível preparação para um contra-ataque usando foguetes de alta precisão fornecidos pelos EUA.

No nordeste, um ataque com foguete russo em Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia, matou uma pessoa e feriu outra, escreveu o governador regional Oleh Sinehupov em um telegrama.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

Relatório dos Escritórios da Reuters; Escrito por Stephen Coates e Mark Heinrich; Edição por Simon Cameron-Moore e Nick MacPhee

Nossos padrões: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.