Enquanto Dearie supervisiona a revisão do documento, o FBI parece estar construindo um caso de obstrução, dizem especialistas

Comente

A investigação criminal sem precedentes do FBI nas 11 semanas desde que os agentes revistaram a residência e o clube de Donald Trump na Flórida se desenrolou em duas vias – uma principalmente pública, a outra principalmente a portas fechadas.

E na área voltada para o público, o caso sobre a nomeação de um mestre especial para examinar milhares de documentos apreendidos repercutiu em todos os níveis do sistema judiciário federal, com o mestre especial – essencialmente um especialista externo – lançando dúvidas sobre as alegações de Trump. O material deve ser protegido do FBI.

Em contraste, as atividades investigativas da Repartição são difíceis de rastrear, embora alguns detalhes estejam surgindo lentamente. Os agentes entrevistaram várias testemunhas sobre o manuseio de documentos governamentais em Mar-a-Lago. O Washington Post relatado na semana passada Um funcionário de Trump disse a agentes federais que moveu caixas de documentos em Mar-a-Lago na direção específica do ex-presidente, e o FBI tem vigilância por vídeo para apoiá-lo.

As evidências, que os especialistas dizem – juntamente com indicações repetidas em documentos judiciais de que os promotores suspeitam que a equipe de Trump desclassificou voluntariamente todos os documentos e não cumpriu uma intimação – sugere que o governo poderia construir casos criminais de peculato e destruição de propriedade do governo.

Mesmo enquanto a investigação avança, Trump está sob escrutínio legal em várias frentes. Entre eles: Audiências do Comitê de Seleção da Câmara Ataque de 6 de janeiro de 2021 Na capital americana Ele testemunhou E os arquivos dos ex-presidentes e do Departamento de Justiça estão realizando uma extensa Investigação criminal Como Trump e seus assessores lidaram com o período pós-eleitoral.

O status das principais investigações envolvendo Donald Trump

Nenhum grande desenvolvimento público é esperado na audiência de Mar-a-Lago após as eleições de 8 de novembro – parte de uma prática judicial de longa data de evitar fazer qualquer coisa que possa ajudar um lado ou outro em uma eleição. , e em parte, o mestre especial ainda está selecionando o material menos sensível apreendido na propriedade da Flórida. Ao mesmo tempo, Trump e seus apoiadores falaram abertamente sobre o lançamento de uma campanha presidencial de 2024 que mudaria imediatamente o cenário político.

READ  Biden entrega a mensagem quando Kim Jong Un completa a primeira etapa de sua turnê asiática

“Você sabe como é a calmaria antes da tempestade?” disse o conselheiro de segurança nacional Paul Rosenzweig. “Estamos lá. Esta é a calmaria antes da tempestade”, disse ele.

A pedido de Trump, O juiz federal do Brooklyn Raymond J. Thierry foi nomeado Revise 13.000 documentos apreendidos e separe aqueles que devem ser protegidos de investigadores devido a privilégios administrativos ou advogado-cliente. Um tribunal de apelações decidiu que 103 documentos confidenciais apreendidos nessa operação não deveriam ser incluídos na revisão do mestre especial.

Está em análise. Os advogados e advogados de Trump concordaram com um fornecedor para revisar digitalmente mais de 20.000 páginas de material não classificado apreendido. A equipe de Trump primeiro examina os documentos, marcando qualquer coisa que considere privilegiada. O governo revisa esses documentos e Diari toma medidas para resolver quaisquer disputas.

Em uma audiência de progresso na terça-feira, Deary expressou frustração em ambos os lados. Ele criticou os advogados de Trump por fazer concessões no lote inicial de documentos sem fornecer nenhuma evidência para apoiar suas alegações.

“‘Onde está o bife?’ Eu quero um pouco de carne”, disse o juiz de 78 anos.

Mesmo que Dearie avance com a revisão, o Departamento de Justiça ainda está lutando contra a nomeação de um mestre especial no tribunal. Juíza Eileen M., uma juíza federal na Flórida. Cannon, em agosto, nomeou e ordenou um mestrado especial. Ele proibiu os investigadores criminais de usar materiais apreendidos, incluindo aqueles marcados como classificados, até que a revisão fosse concluída.

O recurso bem-sucedido do Departamento de Justiça de parte da decisão de Cannon ajudou promotores e agentes do FBI a recuperar imediatamente o acesso a material classificado. A equipe de Trump solicitou à Suprema Corte que revogasse parte da decisão do 11º Circuito de Apelações, mas os juízes a rejeitaram.

Qualquer pessoa pode enviar arquivamentos judiciais para a súmula. O estudo de Mar-a-Lago comprova-o.

Todos os detalhes legais do caso foram examinados por repórteres e pelo público, os apoiadores de Trump aplaudiram a decisão inicial de Cannon de nomear um mestre especial, e os críticos do ex-presidente expressaram ceticismo sobre as reivindicações legais de Trump.

READ  Corvos vs. Pontuação dos golfinhos: atualizações ao vivo, estatísticas do jogo, destaques do confronto da semana 2 da AFC de domingo

Agora, o Judiciário Recursos contra toda a nomeação Um mestre especial do 11º Circuito dispensou Deary de suas funções na esperança de recuperar os 13.000 documentos apreendidos.

“Se o tribunal de apelações concordar com o governo, todo o encaminhamento para um mestre especial terminará”, disse Mary McCord, que atuou como procuradora-geral assistente de segurança nacional durante o governo do presidente Barack Obama. “Esta é provavelmente a parte mais baixa da investigação.”

‘Questões de Segurança Nacional’

No centro de qualquer caso criminal estão frequentemente documentos classificados descobertos pelo FBI, incluindo alguns dos segredos governamentais mais sensíveis. Capacidades nucleares de um país estrangeiro. Alguns dos documentos apreendidos foram publicados pelo The Post na sexta-feira Contém informações muito restritas Sobre os sistemas de mísseis e o trabalho de inteligência do Irã visando a China.

Mas o ex-promotor federal Jim Walton disse que os 13.000 documentos desclassificados podem ser importantes para os promotores porque podem esclarecer por que e como o material classificado foi trazido para Mar-a-Lago e quem o viu depois que White saiu. Casa.

EXCLUSIVO: Documentos de Mar-a-Lago contêm segredos sobre mísseis do Irã, inteligência da China

Walton disse que o Departamento de Justiça “não seria tão pressionado” a apelar de uma nomeação de mestre especial, a menos que algumas questões sérias de segurança nacional fossem respondidas. [13,000] A documentação é muito importante.”

O procurador-geral Merrick Garland e o Departamento de Justiça se recusaram a comentar seus esforços, citando a investigação criminal em andamento.

O porta-voz de Trump, Taylor Pudovich, condenou a investigação e acusou o governo Biden de armar a aplicação da lei e inventar uma “farsa documental em uma tentativa desesperada de manter o poder político”.

Deary tem até o início de dezembro para revisar documentos e resolver disputas sobre concessões nas quais Trump pode insistir se sua indicação for mantida. Mas o Tribunal de Apelação ouvirá os argumentos de ambos os lados no próximo mês, e uma decisão sobre a suspensão da revisão primária especial é esperada em breve.

Enquanto isso, o FBI continuará a buscar testemunhas que possam fornecer informações sobre o manuseio de documentos em Mar-a-Lago, incluindo se Trump ou seus representantes retiveram intencionalmente documentos do Departamento de Justiça ou alegaram falsamente que entregaram todo o material classificado. Quando itens proibidos estão nas instalações.

READ  Sass deve renunciar ao Senado, colocando todos os olhos em Ricketts

Entre as perguntas que eles estão tentando responder, dizem especialistas jurídicos, está o que o ex-presidente sabia sobre os documentos e se a posse dos materiais em Mar-a-Lago representava um risco à segurança nacional.

Comitê da Câmara envia intimação a Trump em busca de documentos e entrevistas

Funcionários da Administração Nacional de Arquivos e Registros levantaram questões sobre se todos os registros governamentais em posse de Trump foram devolvidos à custódia do governo sob a Lei de Registros Presidenciais depois que ele deixou o cargo, e alguns documentos podem ser. Preso em algum lugar que não seja Mar-a-Lago.

“É todo o trabalho que acontece nos bastidores que nunca será revelado”, disse Javed Ali, um alto funcionário do Conselho de Segurança Nacional durante o governo Trump que agora leciona na Universidade de Michigan. “Quem poderia ter acessado esses documentos? E quais informações eles podem ter coletado? O que pode ter resultado de sua posse desses documentos?

McCord disse que construir um caso requer mais do que entrevistar testemunhas e revisar documentos. Ele suspeita que, neste momento do julgamento, o governo está examinando precedentes legais e elaborando estratégias sobre como os advogados responderão a possíveis argumentos de defesa no tribunal.

Por exemplo, o Departamento de Justiça já disse em um processo judicial recente que, mesmo que Trump reivindicasse formalmente e fornecesse evidências de documentos confidenciais que ele possuía, isso não prejudicaria um possível caso de embargo. Isso porque a intimação pediu que sua equipe devolvesse todos os documentos “marcados como classificados” — não classificados.

“Há outras coisas além da coleta de fatos acontecendo neste momento. Há pesquisas legais”, disse McCord. “Todo esse trabalho está em andamento, e é uma quantidade significativa de trabalho. Você não sai para coletar provas e apresentar uma queixa no dia seguinte”, disse ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *