Caminhões de ajuda entram na fronteira de Rafah, no Egito, com a Faixa de Gaza

GAZA/CAIRO (Reuters) – O primeiro comboio de ajuda humanitária enviado à sitiada Faixa de Gaza começou a se deslocar do Egito através da fronteira de Rafah no sábado, após dias de disputas diplomáticas sobre os termos de entrega de ajuda desde o início da guerra no local. .

As Nações Unidas disseram que o comboio de 20 caminhões continha suprimentos vitais para a Cruz Vermelha Palestina. O Hamas, o grupo palestino que controla a Faixa de Gaza, disse que o fornecimento incluía remédios e uma pequena quantidade de alimentos.

Rafah é a principal rota de entrada e saída da Faixa de Gaza, que não é controlada por Israel, e é o foco dos esforços de ajuda aos 2,3 milhões de residentes de Gaza.

Funcionários da ONU dizem que Gaza precisa de pelo menos 100 camiões por dia para responder às necessidades de emergência e que qualquer entrega de ajuda deve ser sustentável e em escala. Antes do início do conflito, chegavam diariamente em média cerca de 450 camiões de ajuda.

“A situação humanitária em Gaza – já precária – atingiu níveis catastróficos”, disse o chefe humanitário da ONU, Martin Griffiths, num comunicado.

“Espero que esta distribuição seja o início de um esforço sustentado para fornecer produtos essenciais, incluindo alimentos, água, medicamentos e combustível”, disse ele.

Israel impôs um bloqueio total e ataques aéreos a Gaza em resposta a um ataque mortal em solo israelita perpetrado pelo Hamas em 7 de Outubro. A passagem de Rafah foi extinta pouco depois e estradas e edifícios foram danificados por bombardeamentos no lado de Gaza. Precisa de reparos.

Os suprimentos estão acabando

A ONU alertou que os alimentos estão a acabar em Gaza e que os fornecimentos de combustível necessários para alimentar os geradores de apoio dos hospitais atingiram níveis perigosamente baixos.

Israel afirmou que não permitirá que qualquer ajuda entre no seu território até que o Hamas liberte os reféns detidos durante a sua ofensiva, e que a ajuda poderá passar pelo Egipto, desde que não acabe nas mãos do Hamas.

Os países ocidentais têm pressionado pela expulsão de portadores de passaportes estrangeiros de Gaza e a Embaixada dos EUA em Israel disse no sábado que qualquer abertura da fronteira permitiria a saída de estrangeiros do território.

UN O secretário-geral, António Guterres, disse na sexta-feira que ainda estava a ser preparado um mecanismo de revisão dos pedidos de ajuda de Israel para ir até à fronteira e que a ajuda não deveria ser acompanhada pela libertação dos reféns. ou expulsão de estrangeiros.

Muitos dos residentes de Gaza concentraram-se no sul do território para evitar ataques aéreos no norte.

“Melhoramos a logística e as capacidades operacionais da Cruz Vermelha, acrescentando mais voluntários e carros”, disse Mahmoud Abu Atta, da Cruz Vermelha Palestina, ao entrar no lado palestino da passagem de Rafah para receber ajuda.

“Alugamos armazéns em Khan Younis e Rafah. Há alimentos e suprimentos médicos”, disse ele.

(Reportagem de Nidal Mughrabi, Yusri Mohamed e Ahmed Mohamed Hassan) Escrito por Edmund Blair e editado por Aidan Lewis Thomas Janowski

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.

Obtenha direitos de licençaAbre uma nova aba

Um repórter veterano com quase 25 anos de experiência na cobertura do conflito palestino-israelense, incluindo diversas guerras e a assinatura do primeiro acordo de paz histórico entre os dois lados.

READ  Últimas notícias da guerra Israel-Hamas: atualizações ao vivo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *