Melhores músicas – Rolling Stone

ele nunca teve Uma música de assinatura são seus colegas e, às vezes, companheiros de banda página Jimmy E Eric Clapton fez, mas esses tipos Jeff Beck Ao longo de sua carreira, o gráfico explorou o rock – e a guitarra do rock – mudanças ao longo das décadas. Um dos técnicos mais físicos do rock, Beck gosta de lutar com seu instrumento. Mas não contente em ficar lá, ele mudou para o predominante blues-rock do final dos anos 60 e para o boogie e fusion mais pesados ​​da década seguinte. As configurações mudaram, mas seu estilo permaneceu o mesmo: notas que cortam como um canivete, mas deleitam-se com a melodia de uma música. Aqui estão algumas de suas melhores canções.

“Heartful Soul” (1965)

Dois dos melhores riffs de guitarra fuzz de 1965 foram gravados com algumas semanas de intervalo, e Jeff Beck chegou lá primeiro, estabelecendo sua linha de cítara que definiu uma década no hit antes de Keith Richards pisar em seu próprio pedal. não consegue) satisfação”. Para o single, Beck simplesmente reescreveu o verso versus a melodia – que funcionou para ele assim como funcionou para Kurt Cobain 26 anos depois. – Ph

Yardbirds, “Jeff’s Boogie” (1966)

“Você deveria conhecer ‘Jeff’s Boogie'”, disse uma vez Stevie Ray Vaughan. “Ninguém sabia que era na verdade a música ‘Guitar Boogie’ de Chuck Berry.” Beck, sem dúvida, deve a Perry pelo menos um crédito de co-autoria para esta faixa, mas, por outro lado, ele renova sua versão quase irreconhecível, cheia de fluxos ofuscantes e harmônicos ping à frente de seu tempo. – Ph

Yardbirds“Navegar” (de Demolição1966)

READ  Um míssil norte-coreano caiu em águas sul-coreanas pela primeira vez em décadas

O filme de 1966 de Michelangelo Antonioni tem alguns momentos inesquecíveis. Demolição, cena em que o personagem de David Hemmings pega os Yardbirds no clube enquanto tenta resolver um assassinato em que sua fotografia foi tirada. Um jovem Jimmy Page toca junto enquanto Keith Relf começa a chorar nos vocais, mas Beck fica frustrado com seu amplificador e destrói sua guitarra. “Tive um ataque quando Antonioni me disse para quebrar meu violão”, disse ele nos contou Em 1971. “Eu disse: ‘Espere um minuto, isso é coisa de Townshend’.” Ele se lembra de ter assistido ao filme pela primeira vez: “Fiquei totalmente envergonhado. Fiquei tão duro no filme, cara! Está quente sob as luzes e, afinal, estou me arruinando com aquela calça justa. – Eu sou

Bolero de Pekin” (1967)

Keith Moon do The Who na bateria, o futuro membro do Led Zeppelin Jon Paul Jones no baixo, o frequente colaborador dos Rolling Stones Nicky Hopkins no piano e as guitarras de Beck é este instrumental proto-prog enganosamente breve e genial do supergrupo histórico. Junto com Page, ele planejou sua banda Yardbirds e o futuro Zeppelin. Page começa com um riff acústico enquanto Beck leva a melodia para um groove elétrico, antes de subir para uma explosão de psicodelia sinfônica e hard rock clássico de todos os tempos. – Ph

Jeff Beck Group, “Eu não sou supersticioso” (1968)

Quando o Led Zeppelin estreou, alguns fãs de rock (incluindo o crítico de rock John Mendelsohn) o acharam popular. Destruiu eles Lado de dentro Pedra rolando), via-os como uma imitação inferior Grupo Jeff Beck. Essas interpretações poderosas do clássico de blues de Willie Dixon, originalmente gravado por Howlin’ Wolf, ajudam a explicar o porquê. – Ph

Jeff Beck Group, “You Shook Me” (1968)

READ  Castillo do Peru foi deposto e preso, e Bolvarde foi empossado como o novo presidente

Um ano antes do Zeppelin colocar as mãos nele, o grupo de Jeff Beck gravou uma versão confusa do clássico de blues de Willie Dixon de 1962 “You Shook Me”, que apresentava o futuro baixista do Zeppelin, John Paul Jones. “Fiquei com medo porque pensei que seriam iguais”, disse Jimmy Page. “Mas eu não sabia que ele fez isso, e ele não sabia que nós fizemos.” Vamos acreditar na palavra de Page de que seu baixista não mencionou isso a ele, e a opinião de Jeff Beck é claramente superior. – Ag

Beck, Bogart, Appis, “Superstition” (1973)

Resultado de uma jam session com Beck e Stevie Wonder, “Superstition” foi gravada antes da versão do próprio Wonder. um livro falante, e tornou-se a música de assinatura do trio de curta duração de Beck de Carmine Appice e a seção rítmica de fudge de baunilha de Tim Bogart. Ainda é um chute ouvir a parte monstruosa do clavinete de Wonder em vez da guitarra de Beck. – banco de dados

“Porque nós terminamos de ser amantes” (1975)

As habilidades de Beck como técnico muitas vezes ofuscavam o quão emocional sua forma de tocar poderia ser, e não há melhor exemplo em seu catálogo do que sua versão instrumental desta balada de Stevie Wonder de 1975. golpe golpe. Kajol cutuca a guitarra e chora no final. – banco de dados

“Vento Azul” (1976)

Em meados dos anos 70, ele trabalhou com o produtor George Martin e o ocasional tecladista John Hammer. Escrito por Hammer e adicionado em 1976 Com fioA insanamente emborrachada e barulhenta “Blue Wind” provou que Beck podia voar para cima e para baixo no braço da guitarra como os principais músicos de fusão da época, mas com fúria e picada adicionais. – banco de dados

Jeff Beck e Rod Stewart“Pessoas prontas” (1985)

READ  Homens do Texas Homero Zamorano e Christian Martinez são acusados ​​pela morte de 53 imigrantes encontrados em caminhão

Jeff Beck e Rod Stewart seguiram caminhos separados quando o Jeff Beck Group original se desfez em 1969, mas voltaram 16 anos depois para fazer um cover de “People Get Ready” de Curtis Mayfield no LP de Beck. Instantâneo. Stewart disse Pedra rolando Em 2018, sua voz e a guitarra de Beck são uma “combinação feita no céu”, e isso fica muito evidente nesta capa, que encerrou sua última colaboração em estúdio. – Ag

Tendência

“Um dia na vida” (1998)

o Os Beatles“A Day in the Life” é uma obra-prima difícil de cobrir de maneira significativa. Uma exceção veio no obscuro LP George Martin de 1998. na minha vida, Jeff Beck abordou a música sem cantor, recriando a melodia vocal em seu violão. É um magnífico exemplo do seu talento, e é o culminar dos seus concertos no último quarto de século da sua carreira. – Ag

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *