Apple Artigos iPad Notícias

Apple processada por iPad ter causado alegadamente a morte de um homem

21/02/2019

Apple processada por iPad ter causado alegadamente a morte de um homem

A gigante dos iPhones foi processada recentemente por ter sido alegadamente a responsável por um incêndio que resultou na morte de um homem. O fogo começou num iPad que supostamente teria algum defeito.

Normalmente os processos judiciais em que a Apple se vê envolvida estão relacionados com violações de patentes ou então com as habituais e omnipresentes “guerras” com outras empresas conceituadas, mas desta vez a criadora dos iPhones foi processada por algo sério: a morte de um homem.

A fatalidade aconteceu em Parsippany (Nova Jersey, EUA) e a vítima foi Bradley Ireland. Segundo a acusação, a morte foi derivada de um incêndio que começou por causa de um iPad defeituoso, aparelho esse da Apple.

Segundo o relatório do processo, que foi registado no Tribunal do Distrito de Nova Jersey, o acidente trágico aconteceu no dia 22 de fevereiro de 2017. A queixosa, Julia Ireland Meo, esposa do falecido, afirma que foi o incêndio no dispositivo que começou o fogo que veio a matar o seu marido. A viúva afirma que o iPad era “excessivamente perigoso” e que o mesmo carecia de “avisos adequados sobre os seus riscos e cuidados”.

A Apple vê-se assim acusada de um crime grave: homicídio por negligência. Para além disso, a empresa também se vê acusada de causar danos permanentes à vida da esposa do falecido, nomeadamente psicológicos, dado que Julia afirma ter sentido “dor e sofrimento significativos” entre o momento que recebeu a notícia do incêndio e o momento posterior em que teve a confirmação da morte do marido.

Incêndios em dispositivos da Apple têm acontecido ocasionalmente, sendo que quase todos estão relacionados com baterias defeituosas. Um dos casos mais badalados foi o de um iPhone que, em 2016, pegou fogo durante um voo, tendo causado grandes transtornos aos passageiros e tripulação da aeronave. No entanto, esta é a primeira vez que a Apple se vê acusada de um crime de homicídio por negligência por causa de um incêndio de um dispositivo seu.