Apple Artigos Entrevistas Notícias

Ex-VP de software Scott Forstall destaca em entrevista a importância da criatividade e inovação na Apple

25/01/2019

author:

Ex-VP de software Scott Forstall destaca em entrevista a importância da criatividade e inovação na Apple

Numa longa entrevista, concedida ao programa “Philosophy Talk”, em outubro do ano passado, o ex-VP de desenvolvimento do iOS, Scott Forstall revela pormenores interessantes, da sua passagem pela Apple.

Scott Forstall - Philosophy Talk
Ex-VP do iOS Scott Forstall reapareceu para dar uma entrevista ao programa Philosophy Talk

Apesar desta entrevista ter sido realizada em outubro de 2018, só no decorrer desta semana é que foi disponibilizada para o público geral, através do canal de YouTube do referido programa.

Assim, no decorrer desta rara entrevista, concedida por Scott Forstall, ele aborda não só a importância da inovação e do processo criativo da Apple na era de Steve Jobs, bem como a criação da Apple TV, entre outros curiosos assuntos sobre a gigante de Cupertino.

Quem é Scott Forstall?

Scott Forstall nasceu em 1969 e formou-se em 1991 na Universidade de Stanford em Ciências de Computação. Começou a sua carreira em 1992 na NeXT. Posteriormente em 1997, iria acompanhar Steve Jobs na sua mudança para a Apple, assumindo o cargo de vice-presidente de software.

Contudo o seu longo percurso de quinze anos na Apple, acabaria por terminar em 2012, desconhecendo-se o principal motivo do seu despedimento. Últimas notícias indicavam, que após alguns problemas na app Maps, introduzida com o iOS 6. Forstall recusou-se a assinar uma carta, onde pediria desculpa aos utilizadores pelo incómodo causado e pelas falhas existentes, no novo serviço de mapas da Apple.

Scott Forstall iOS
Scott Forstall acabaria por ser demitido da Apple após o lançamento do iOS 6

Desde 2015 que Scott Forstall, aceitou o cargo de produtor na Broadway. E esta interessante conversa, começa exatamente com a explicação desta mudança na sua vida. Visto estarmos a falar em áreas completamente distintas, porém Forstall admite que existem semelhanças entre elas:

“As disciplinas e áreas são bastante diferentes, mas criar um espetáculo da Brodway é incrivelmente similar á criação de uma startup tecnológica. Ambos começam com pessoas extremamente criativas, que começam com roupa inteira, e que procuram criar um novo produto. No caso da tecnologia, pode ser uma aplicação ou um dispositivo, enquanto na Broadway, é a criação de um guião.”

Isto é, Forstall pretende transmitir a ideia de que estas duas áreas possuem elementos criativos para criar algo novo de raiz. Assim o pensamento criativo, é o primeiro passo essencial para começar algo novo.

A disposição da Apple em assumir riscos

Nesta conversa tida com os outros dois intervenientes, Josh Landy e Ken Taylor. Forstall começou por abordar a importância de ter de correr riscos. Decisões estas que segundo o mesmo, estão diretamente relacionadas com a inovação.

Steve Jobs Apple Team
A equipa de sucesso da Apple onde se inclui Scott Forstall à direita junto a Steve Jobs

Desta forma, acabaria por citar um episódio ocorrido, aquando do lançamento do iPod Nano:

“Eu penso que estás constantemente a correr riscos. Se não os correres não vais conseguir algo interessante!

Numa altura na Apple, estávamos perto da falência e lançámos o iPod. Após finalmente estar a vender bem e conseguirmos obter o produto mais vendido na história da empresa, decidimos lançar o iPod Nano.

Sabíamos que íamos desenvolvê-lo e cancelamos toda a linha do iPod mini, antes mesmo de enviarmos o novo produto e isso poderia ter devastado a empresa.

Nós tomámos essa decisão, porque acreditámos nesse produto e assim assumimos riscos, pois só dessa forma conseguiríamos passar para o próximo nível.”

Em suma, Forstall demonstra nesta citação que a inovação sempre presente na Apple, só poderá ser posta em prática em alguns casos, se a marca da maçã estiver na disposição para assumir os riscos inerentes á sua implementação.

A importância da criatividade em todo o processo

Um dos pontos fundamentais, para o sucesso da empresa de Cupertino, está relacionado com a grande criatividade existente na sua equipa de desenvolvimento.

Deste modo ao abordar este tema, Forstall assume que se existir apoio e uma adequada gestão dos recursos existentes, será criado um ambiente que irá estimular e desenvolver automaticamente a promoção da criatividade dessa equipa.

Foi sob a liderança da equipa de desenvolvimento do Mac OS X, que implementou a regalia, de dar a cada elemento da sua equipa, um mês inteiro para estes pensarem livremente no projecto que desejassem. Após usufruírem dessa possibilidade, grande parte deles apareciam com ideias incríveis, sendo os seus projectos, apresentados ás chefias e verificados pelo próprio Forstall.

Um destes projectos e ideias criativas de sucesso, dariam posteriormente origem á Apple TV, descrito pelo próprio da seguinte forma:

“Uma das ideias/apresentação foi de uma interface de utilizador, com três metros que eu adorei e nós a transformaríamos na Apple TV.

A Apple TV foi inventada, porque alguém que foi incentivado a fazer o pretendesse por um mês, e nós transformamos isso num produto.”

A conversa sobre este tema, entre os três prosseguiu, até chegar ao assunto final.

O uso excessivo do iPhone nas nossas vidas

No final da entrevista, Scott Forstall destaca a importância de por vezes, termos de nos desligarmos do nossos dispositivos. Uma vez que o iPhone, tornou-se cada vez mais omnipresente na vida de todos nós.

Scott Forstall na apresentação do iOS6
Scott Forstall destaca a importância do iPhone nos dias de hoje, contudo cada pessoa deve ser moralmente responsável pela sua utilização

Partilhando de seguida um exemplo seu. Na sua casa durante as refeições não é permitida a utilização de qualquer dispositivo, nem sequer em cima da mesa virado para baixo, pois essa altura está exclusivamente reservada para socializarem e para a interação humana. Prosseguindo com o seu pensamento sobre este assunto:

“Não gosto de ver pessoas num restaurante a jantar, agarradas ao smartphone a mandar mensagens. A segunda coisa que também não gosto, é de verificar que quando as pessoas andam na rua, apenas olham para o seu smartphone, em vez de olharem em redor e conversarem com as pessoas. Atualmente considero o iPhone uma ferramenta.

Porém, agora olho para isso e digo ok, isto permitiu ás pessoas possuirem e usarem redes sociais. Mas depois existem esses “cones” dentro de câmaras de eco, que estão destruindo muita coisa. E isso é o mais preocupante, mas penso que tu podes criar algo que pode ter utilização boa ou má. Devemos por isso, nos sentir moralmente responsáveis, pela criação ética e uso que fazemos dos nossos equipamentos.”

Assim resumimos-te o essencial desta interessante entrevista, que possui também algum conteúdo filosófico. Embora a mesma possua a duração de aproximadamente uma hora e trinta minutos, aconselhamos-te a ver no vídeo abaixo.


Fonte: AppleInsider

Iniciou o seu percurso enquanto estudante e profissional em Lisboa e por aí continuou, atualmente a residir na Margem Sul do Tejo, já fez um pouco de tudo a nível profissional, com formação na área da banca e seguros, no seu currículo inclui igualmente uma passagem na área de IT, algo que sempre teve como hobbie, apaixonado desde criança pela área de tecnologia e tudo o que a envolve. Adora o Benfica, Surf, todo o tipo de desportos radicais, Videojogos, Cinema, Música, Fotografia e Vídeo. A sua entrada no mundo Apple iniciou em 2007 com o iPod nano 3ª geração, desde então nunca mais parou de acompanhar e comprar produtos Apple. Dono de um iPhone 8 Plus, Apple Watch S2, iPad, AirPods e Apple TV 4ª geração, aos quais não os troca por nada, esperando em breve fazer a tão esperada transição Windows - MacOs para completar o seu ecossistema Apple.